RaspyFi: Som de qualidade no Raspberry Pi

raspyfi

Lançado oficialmente no dia 7 de Setembro, o RaspyFi 1.0 é um Linux dedicado a transformar o hardware Raspberry Pi em uma central de áudio de qualidade. O novo sistema operacional roda através de um cartão de memória SD, como o Raspbmc, indicado para central multimídia XBMC.

Continuar lendo RaspyFi: Som de qualidade no Raspberry Pi

Puppy Linux 5.7 roda em máquinas com pouca memória RAM

puppylogo

Software Open Source não deve ser excludente, isto é, um de seus princípios básicos diz: Não deve haver discriminação contra qualquer pessoa ou grupo. Esta ideologia deveria ser suportada por todas as versões do Linux, mas o fato é que para avançarem, elas precisam deixar o suporte a hardware antigo de lado. Mas e se você tem uma máquina antiga e ainda utiliza a conexão discada com a internet (dial-up)?

Continuar lendo Puppy Linux 5.7 roda em máquinas com pouca memória RAM

Conheça o Linux que mantém você no anonimato

Tails é uma distribuição Linxu baseada no Debian GNU/Linux e roda em modo live (através de um USB ou DVD) com o objetivo não deixar rastros quando você se comunica pela internet e criptografar tudo que for possível. O slogan deste Linux é claro neste sentido: The Amnesic Incognito Live System. Amnésico, porque ela perde a memória de longo prazo e Incógnito porque ela oculta qualquer atividade de comunicação.

Continuar lendo Conheça o Linux que mantém você no anonimato

OpenELEC traz novo XBMC 12 para Raspberry Pi

XBMC Beta

Se você não conhece nenhum dos nomes contidos no título desta notícia, você está perdendo uma boa oportunidade de entretenimento. Portanto vale a explicação: OpenELEC é uma mini distribuição Linux criada para rodar via cartões SD e pen drives. XBMC é uma complexa plataforma de software destinada a máquinas do tipo media center ou HTPC. E o Raspberry Pi é um computador de arquitetura ARM, do tamanho de um cartão de crédito, que suporta vídeos MPEG4 1080p via saída HDMI.

Bom, feita a breve apresentação, a distribuição OpenELEC lançou o primeiro beta, de apenas 83 MB, para rodar o novo XBMC 12 no hardware ARM. Entre as novidades desta versão, estão:

• Suporte a áudio HD, incluindo DTS-MA e Dolby True-HD;
• Melhoria do suporte da tecnologia AirPlay;
• Traduções de plug-ins e configurações (executadas via Transifex);
• Melhoria do compartilhamento via UPnP;
• Decodificação do formato h.264 10bit, muito utilizado em anime;

Para baixar vá até o site oficial. Se quiser instalar via terminal, consulte o wiki.

Beta do Fedora 18 sai em 6 dias

Fedora 18, codinome Spherical Cow

 

Daqui a sete dias deve estar disponível o Fedora 18, codinome “Spherical Cow”, segundo o cronograma oficial. Está previsto para o dia 11 de Dezembro o lançamento da versão final. Entre as novidades estão os aplicativos voltados para administração e gerência da nuvem. Algo natural nos sistemas operacionais mais modernos, mas incomum para um Linux doméstico.

Continuar lendo Beta do Fedora 18 sai em 6 dias

Não sofra com o Windows 8, use Ubuntu

Quem entrou hoje para baixar a nova versão do sistema operacional Ubuntu 12.10 (uma versão sem suporte estendido), se deparou com esta frase. Não é a primeira vez que a empresa critica a nova versão do sistema operacional da Microsoft. Honestamente não acho que o caminho seja este. Isto só gera animosidades, ao invés de integrar e extrair o melhor.

Outra coisa que é polêmica é que agora quem deseja baixar o sistema, acabará em uma página que pede doações em dinheiro para que o projeto continue a dar bons frutos. A contribuição pode chegar a 1000 dólares (ou R$2030 reais sem impostos). Como a própria Canonical afirma, seria o equivalente a comprar um camelo de oito anos (uma comparação esdrúxula e pouco óbvia). As doações funcionam via Paypal.

Antes de entrar na discussão se é ou não uma forma de forçar doações, é salutar dizer que a Canonical, a empresa que mantém o sistema operacional Ubuntu, foi fundada com capital próprio do Mark Shuttleworth. Foram inicialmente 10 milhões de dólares. Mais tarde ele investiu mais 1 milhão de dólares em uma empresa de computação em nuvem, a InkTank (Ubuntu One?). Ele é também patrono do KDE, doando 5 mil dólares por mês. Não contabilizei outros investimentos, que não aparecem na grande mídia. Agora a pergunta: Você conhece alguém (pessoa física) que tenha investido esta valiosa quantia em um Linux?

Com estas afirmações não quero defender ou justificar a ação da Canonical. São apenas fatos. A empresa precisa de doações, sejam elas na forma de horas de trabalho ou capital. A Canonical alega que já recebeu pessoas querendo doar e não sabiam como.

Enquanto você forma sua opinião, desfrute do novo Ubuntu.

Ubuntu cria polêmica ao incluir catálogo da Amazon

 

Imagem: OMG! Ubuntu

O próximo Ubuntu, versão 12.10 do sistema operacional, incluirá no lançador (dash) o catálogo de produtos da Amazon. Ao digitar na busca o nome de algum aplicativo, aparecem mais sugestões, exibindo títulos de alguns filmes. Um clique abre uma nova janela do navegador para você comprar o conteúdo.

Continuar lendo Ubuntu cria polêmica ao incluir catálogo da Amazon

Ubuntu com webapps é o futuro?

 

É notória, mas não nova, a preocupação em ter um sistema operacional rodando em diferentes dispositivos ou sistemas computacionais. Em cada máquina você tem uma forma diferente de interação homem-computador. Logo, a interface gráfica tem que se adaptar a esta forma de interação.

E qual tecnologia usar? A aposta de grande parte do mercado são os webapps, ou em português claro, aplicações web. As interfaces geralmente são feitas com HTML5, CSS3 e JavaScript. Se você tem um site, significa que sua interface pode ser reutilizada (se bem projetada).

Continuar lendo Ubuntu com webapps é o futuro?

O primeiro mini desktop Linux Mint

São poucas as distribuições que atingem um patamar de popularidade suficiente para ter seu próprio hardware. É o caso agora do Linux Mint, que em breve terá  um mini desktop chamado “mintBox”. Segundo a equipe do Linux Mint, a parceria com a israelense CompuLab se desenrola desde Dezembro de 2011. O hardware escolhido para ser comercializado com a distribuição é o fit-PC3.

Continuar lendo O primeiro mini desktop Linux Mint

Conectiva, Mandrake, Mandriva, Mageia e agora?

Nada melhor do que o tempo. Quem em meados de 1997 instalou a distribuição brasileira Conectiva, ou pouco tempo depois instalou a distribuição Mandrake sabe que as duas foram marcos históricos. Mandrake tinha uma excelente compatibilidade com hardware novo. Notadamente os laptops, lançados anos mais tarde. Conectiva era a única que continha documentação e código de qualidade, sabiamente escritos por brasileiros. Em 2005, quando a uma empresa francesa decidiu reunir as duas distribuições Linux em uma chamada Mandriva, a expectativa era grande. Poderia surgir desta fusão uma empresa que dominaria o mercado. Não foi o que aconteceu. Em Setembro de 2010, o Mageia foi criado como uma divisão do Mandriva (fork), graças à liquidação de uma empresa associada. A organização sem fins lucrativos que mantem o Mageia, conseguiu amealhar a comunidade em torno do Mandriva. Os poucos que restaram, continuaram fiéis, mas descontentes com algumas modificações impostas pela empresa.

Continuar lendo Conectiva, Mandrake, Mandriva, Mageia e agora?