Cryptocat: O chat seguro que virou febre

Cryptocat 8 bit
Em que mundo você vive?

Naquele momento de introspecção em que você avalia se está ou não seguro, a resposta quase sempre é não. O sentimento é maior quando falamos de comunicação via internet. Por definição, a rede mundial de computadores opera alguns protocolos, ou formas de comunicação, cuja especificação diz claramente: é um meio compartilhado. E como em todo meio compartilhado, há a possibilidade real desta informação atingir um destinatário não desejado.

Pesquisadores da área de segurança não cansam de repetir o mantra de que a segurança é um estado de espírito e que você só consegue atingir este estado, se abstrair alguns aspectos – não todos obviamente. Analisando lucidamente, até faz sentido, mas não pense que abstrair significa estar seguro. Muito pelo contrário, não pensar em alguns aspectos pode te expor mais ainda.

Mas porque isso é importante? Porque gastar dois parágrafos para introduzir um tema que está em nosso dia a dia? A retórica parece surtir mais efeito se mencionar que estamos em um período nebuloso de espionagem digital. Não faltam casos para mencionar, alguns inclusive ameaçam a geopolítica do mundo. Wikileaks é a face mais visível desta questão.
E no pequeno âmbito, você pode ter suas informações pessoais compartilhadas com um criminoso, ao falar com um amigo via chat. Imagine se todas estas informações pessoais cuidadosamente acumuladas, viessem a público sem a sua permissão.

O que é o Cryptocat?

Nas palavras do criador, o objetivo do Cryptocat é fornecer, de uma forma fácil e acessível, um chat que seja capaz de manter sua privacidade online. Apesar de muito intuitivo, um vídeo lúdico e engraçado, explica exatamente como é o funcionamento:

[vimeo width=”550″ height=”400″]http://vimeo.com/38439169[/vimeo]

No começo deste ano, Nadim publicou um relatório de uso do chat. Hoje em dia há cerca de 10 mil pessoas conectadas diariamente e este número não para de crescer. 59 % dos usuários usam Firefox, 32% usam Chrome e apenas 9% usam Safari. Até o final de Maio entram as versões móveis do aplicativo para Android e iOS. O chat está atualmente disponível em 32 idiomas.

O serviço tem diversos colaboradores e atualmente já angariou 100 mil dólares de duas fontes: Radio Free Asia Open Technology Fund e minoritariamente do Open Internet Tools Project.

Como uso o Cryptocat ?

É muito simples, como já foi dito. Basta instalar uma extensão no Firefox, Chrome ou Safari, inserir o nome de uma sala de conversa, um apelido ou seu próprio nome e iniciar a conversa.

Por padrão ele utiliza o servidor da ferramenta. Se você tiver interesse em rodar o seu próprio servidor, o código fonte está no GitHub. O cliente também está lá e com uma certa frequência tem caça aos bugs.

Pessoal, enquanto minha paciência durar, estarei online na sala de conversa infolab. Nos vemos lá! E em breve publicaremos uma entrevista exclusiva com Nadim Kobeissi.

Deixe uma resposta