Pen drive velho tem sobrevida com Puppy Linux

Você tem uma gaveta cheia de pen drives com capacidade entre 128 e 512 megabytes sem uso? Que tal instalar um Linux super leve em um deles? Esta é a proposta do Puppy Linux, uma mini distribuição popular entre os “linuxistas” de primeira viagem.

O Puppy Linux, atualmente na versão 4.3.1, ocupa 104 MB, roda totalmente na memória RAM e tem persistência de dados. Na prática, isso significa que depois de instalar o sistema no pen drive, você pode criar arquivos, alterar configurações, entre outras coisas. O Puppy Linux, pode ter certeza, guardará as informações no pen drive, em um arquivo com a extensão 3fs para uso futuro.

No meu ponto de vista, desde que foi lançado, o sistema mantém algumas coisas mal resolvidas. Uma delas é a própria instalação no PC. O usuário deve baixar a distribuição no formato ISO, gravar um CD com esse arquivo; em seguida, deve bootar o PC usando o CD.  Só depois desse trabalhão todo é possível conectar um pen drive no PC para gravar o Puppy.

Observação importante: para instalar clique no ícone “Pet Install” e selecione o processo Puppy universal installer. Outro detalhe não amigável é que na primeira vez que você carregar o sistema, é preciso selecionar o idioma, o layout do teclado e passar por um processo de configuração da resolução da tela (às vezes, um trabalho árduo e doloroso).

O bom da distribuição são as aplicações minimalistas e objetivas. Veja alguns exemplos:

– Seamonkey 1.1.18 – Browser;
– Ayttm 0.6.0 – Mensageiro multiprotocolo;
– Pctorrent 1.4 – Gerenciador de torrents;
– Uget downloader manager – Gerenciador de downloads;
– You2pup – Download de vídeo do Youtube;
– Pburn 3.1.2 – Gravador de CD/DVD/bluray;
– Figaros Password Manager 2 – Gerenciador de senhas;
– Puppy PDF conversion wizard – Conversor de documentos para PDF;
– Pbackup 3.1.8 – Software de backup.

8 thoughts on “Pen drive velho tem sobrevida com Puppy Linux”

  1. Olá Luiz, você já experimentou o SucciLinux? Somos o braço do Puppy em Português estamos na versão 2.0 e dentro do processo de desenvolvimento da versão 3.0 (inclusive vamos usar essa matéria para repensar alguns fatores e processos). Se quiser nos visitar estamos em http://www.succi.org

  2. Existem outras distribuições Linux que são menores ainda com o Puppy, o que é claro, as deixa com um ar mais rústico. O DamnSmallLinux.org tem 50mb a ISO dele e o TinyCoreLinux.org tem 10mb. Vejam os screenshots deles nos sites.

  3. Gosto muito do Puppy Linux. Instalei a versão 4.3.1 no meu computador antigo: Pentium 3; 256 mb de RAM; DR de 20GB. Várias músicas estão lá. O computador está ligado ao Home Teather e por meio do Puppy executo os arquivos FLAC.

Deixe uma resposta