O que a Apple não te contou sobre o iPad Pro

 

Renegar a excelência que alimenta a empresa é quase um movimento com violência contra a parede. Na essência dos consumidores contumazes da Apple, sabemos que figuram os profissionais criativos. Desenhistas, produtores de vídeo, arquitetos e outros fazem parte deste conjunto de profissionais que não se acostumam com desenhos usando a ponta dos dedos. Embora adorem passar horas sacolejando por aí com o iPad à tira colo.
Prova de que este é um filão pouco explorado – até então – pela Apple não faltam. Pouca gente conhece, por exemplo, o Astropad. Trata-se de um aplicativo costurado com linhas de código bem-ajambradas para transformar o iPad em uma mesa digitalizadora. Sites como o Creative Bloq, cunharam o invento de “Wacom Killer”. Com canetas de outras marcas, os tablets sensíveis ao toque da maçã reconhecem quase sem lag os mais variados traçados. Ainda sintonizados na frequência da descoberta, o blog entrevistou os bons moços do Astropad. Como é que a Apple não pensou nisto? Aliás são – momento de grande mistério – ex-funcionários da própria Apple.

Ok Juquinha e o que a Apple não me contou?  Você repara pouco mesmo. Além do que ficou explicito acima, a Microsoft usa o desenho a mão livre como argumento de venda do Surface 3. Sua caneta, sensores e um pedaço de seu software são capazes de detectar finos traços e quando um cidadão escorrega parte da mão pela tela durante uma obra (recurso chamado “palm block”). Vale mencionar que o danado da Apple terá teclado! (A Logitech não ficará de fora desta farra). Concorrência que incomoda meu amigo. O site Extreme Tech matou a charada faz um tempo.

Claro que o dispositivo tem seus méritos. A configuração é realmente fantástica. Tela retina de 12,9 polegadas e processador 64 bits de terceira geração são só alguns dos detalhes que saltam aos olhos de qualquer nerd que bate ponto. Mas isto é apenas feitiço perto do grande juiz, o uso. Talvez este iPad não seja útil para você. Se ainda restam muitas dúvidas, recomendo fortemente a leitura desta pérola que a Bloomberg publicou.

Como criar apps para smartphones e tablets com Ubuntu

Ubuntu tablet
Foto: Divulgação

 

 

Depois do lançamento feito pelo Mark Shuttleworth ontem, digno das apresentações que Steve Jobs fazia ao lançar um novo produto, muitas pessoas – incluindo este que vos escreve – ficaram entusiasmadas em saber como será o novo sistema. Ele parece reunir as ideias de muitos sistemas operacionais móveis, como o Android, iOS, BlackBerry Playbook OS e até o sistema operacional Windows 8. É claro que há sutilezas que os diferenciam.

Continuar lendo Como criar apps para smartphones e tablets com Ubuntu

Versão de Ubuntu para tablet chega amanhã

Smartphone com Ubuntu
Fonte: Divulgação

 

Quem entrou no site do Ubuntu hoje se deparou com um contador de tempo, com os dizeres: “Tick, Tock, tablet time!”. Uma clara alusão a versão do sistema feita para tablet.

Continuar lendo Versão de Ubuntu para tablet chega amanhã

Spark será o primeiro tablet com Plasma Active

Apesar de possuir configurações modestas, o Spark — primeiro tablet com o ambiente Plasma Acitve — tem boa chance de dar certo. Segundo Aaron J. Seigo, lider do projeto Plasma Active, o Spark custará 200 euros (pouco mais de 500 reais sem impostos) e terá a seguinte configuração:

Continuar lendo Spark será o primeiro tablet com Plasma Active