Com números fracos no Brasil, Xiaomi Redmi Note 3 arrasa na Índia

A Xiaomi pode ter vendas em queda na China e no Brasil, onde não traz novidade há algum tempo, mas dados do IDC, referentes ao segundo quarto de 2016,  demonstram que o RedMi Note 3 é disparado o mais vendido online da Índia.

Continuar lendo Com números fracos no Brasil, Xiaomi Redmi Note 3 arrasa na Índia

Xiaomi Redmi Note 3 traz leitor biométrico e Mi Pad 2 é o primeiro com núcleo Intel

A Xiaomi, empresa de Internet e Hardware que é líder de vendas de smartphones na China e tem 4 meses recém-completos de operação no Brasil, acaba de lançar hoje, na China, três novos produtos para fechar o ano com chave de ouro: Redmi Note 3, seu primeiro smartphone com leitor de impressões digitais; Mi Pad 2, com processador Intel; e Mi Air Purifier 2, uma versão menor e com maior relação custo-benefício do popular Mi Air Purifier, que utiliza a internet para se conectar aos demais dispositivos e à plataforma da Xiaomi.

“Os Mi Fãs têm expectativas altíssimas e estamos extremamente felizes em ter criado o Redmi Note 3, que vai além do que os consumidores esperam de um smartphone abaixo de US$ 150”, afirma Lei Jun, fundador e CEO da Xiaomi.

O Redmi Note 3 será vendido a partir de US$ 140,30. Tem corpo de metal, leitor de impressões digitais e uma bateria de 4.000 mAh. Com preço inicial de US$ 159, o Mi Pad 2 tem processador Intel Atom X5-Z8500 de 64-bit e funciona com MIUI 7 e Windows 10. O Mi Air Purifier 2 é mais compacto e silencioso que sua primeira versão, mas tão poderoso quanto, e será vendido por apenas US$ 109.

O Redmi Note 3, o Mi Pad 2 (com MIUI 7) e o Mi Air Purifier 2 estarão disponíveis para consumidores chineses no dia 27 de novembro a partir das 10 horas da manhã no Mi.com e nas lojas Mi Home. A versão com Windows 10 do Mi Pad 2 estará disponível em dezembro. Não há ainda previsão de lançamento dos produtos no Brasil.

Redmi Note 3: primeiro smartphone da Xiaomi com leitor de impressões digitais

O Redmi Note 3 vem com o mesmo processador MediaTek Helio X10 que o Redmi Note 2. Seu corpo é de metal e estará disponível nas cores dourada, prateada e cinza escuro. O leitor de impressões digitais, que vem com a garantia de segurança no chip TEE da Trustonic, desbloqueia o dispositivo em apenas 0,3 segundos e facilita o pagamento via Mi Wallet. O Redmi Note 3 ainda vem com uma bateria de alta densidade de 4.000 mAh e 690 Wh/L que suporta o carregamento rápido de 5V/2A.

O Redmi Note 3 será vendido por cerca de US$ 140 para a versão de 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento. A versão de 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento sairá por US$ 172.

Especificações principais do Redmi Note 3:

  • Corpo de metal
  • Disponível em dourado, prata ou cinza escuro
  • Leitor de impressões digitais
  • Pagamento por NFC Mi Wallet
  • Bateria de 4.000 mAh
  • Processador MediaTek Helio X10 Octa-core 64-bit com arquitetura Cortex-A53
  • 2 GB / 3 GB de RAM LPDDR3 dual-channel
  • 16 GB / 32 GB de armazenamento interno
  • Câmera traseira de 13 MP com PDAF
  • Câmera frontal de 5 MP com flash de dois tons
  • Tela Full HD de 5,5 polegadas completamente laminada
  • 14g (4g mais pesado que o Redmi Note 2)
  • MIUI 7

Mi Pad 2: com processador Intel

Todo de metal, o Mi Pad 2 vem com o processador Intel Atom X5-Z8500 de 64-bit. Tem tela IPS de 7,9 polegadas, câmera traseira de 8 MP e é equipado com uma grande bateria de 6.190 mAh que suporta carregamento rápido de 5V/2A. O Mi Pad 2 vem com MIUI 7 (Android 5.1) ou WIndows 10.

Especificações principais do Mi Pad 2:

  • Corpo em metal
  • Cinza escuro ou dourado champagne
  • 322g / 200,4 x 132,6 x 6,95mm
  • 38g mais leve e 18% mais fino que o Mi Pad de 1ª geração
  • Processador Intel Atom (14nm) X5-Z8500 Quad-core de 2,24 GHz
  • 2 GB de RAM LPDDR3 dual-channel
  • 16 GB / 64 GB de armazenamento interno
  • Tela IPS de 7,9 polegadas com resolução de 2.048 x 1536, 326 PPI
  • Câmera traseira de 8 MP (f/2.0)
  • Câmera frontal de 5 MP
  • Lentes wide angle de 75º
  • Bateria de 6.190 mAh
  • Wi-Fi 802.11 ac dual-band, Bluetooth 4.1
  • Porta USB Type-C
  • MIUI 7 (Android 5.1) ou Windows 10

O Mi Pad 2 será vendido por aproximadamente US$ 159 na versão com MIUI 7
e 16 GB de armazenamento. Na versão de 64 GB o custo gira em torno de US$ 203 . A versão com Windows 10 apenas estará disponível com 64 GB de armazenamento e será vendida em dezembro por aproximadamente US$ 203.

Usuários na China têm acesso a uma larga lista de conteúdos no Mi Pad 2, com até 60 mil e-books, 58 mil horas de vídeo e 3 mil jogos, incluindo os lançamentos mais recentes.

 

Fonte: Grupo Casa e Xiaomi

Xiaomi anuncia chegada da versão branca do Redmi 2 PRO

A Xiaomi, empresa de Internet e Hardware que é líder de vendas de smartphones na China e tem 4 meses recém completos de operação no Brasil, anuncia que irá comercializar a partir desta terça-feira, 17 de novembro, uma nova versão do Redmi 2 PRO. A diferença está no visual: o modelo tem a traseira na cor branca e será vendido pelo mesmo preço: R$ 649,00 no pagamento à vista.

Os interessados no Redmi 2 PRO branco ainda poderão escolher dois kits de capas protetoras para acompanhar a compra, sem custo adicional. O primeiro, Trio Soft, é formado por três capinhas, nas cores branca, amarela e rosa; o segundo, Dual Hard, vem as cores verde e rosa.A disponibilidade dos kits depende do estoque e as vendas serão feitas exclusivamente no site Mi.com.

Além da novidade do Redmi 2 PRO e dos kits de capinhas que o acompanham, o Mi.com também recebe, nesta terça-feira, a reposição de dois itens muito aguardados: a Película Protetora Clear e a Capa Protetora Hard preta, que podem ser usadas também no Redmi 2.

Novos canais para comprar o Redmi 2 PRO

A Xiaomi anuncia que o Redmi 2 PRO na cor Dark Grey também será vendido, a partir de hoje, nos market places da Americanas.com, Shoptime e Submarino.

“Na China e na Índia, esse tipo de parceria com outras lojas virtuais é um grande sucesso e nos ajuda a atingir um público ainda maior”, avalia Leo Marroig, diretor-geral da Xiaomi para a América Latina.

Neste ano, no Dia dos Solteiros, conhecido como “Black Friday chinesa”, a Xiaomi foi a empresa que mais vendeu nos sites Tmall, JD e Suning, que são os três maiores e-commerces do país. O total de vendas rendeu aproximadamente US$ 196,3 milhões em apenas um dia. “Estamos animados em diversificar ainda mais nosso portfolio e contar com novos parceiros de vendas, especialmente a tempo das festas do final do ano”, comemora.